Curos Luiza Kehl
Livro: A Morte Não Existe

Blog

Novidades e novas aplicações para as meditações das quintas-feiras

Olá amigos,
 
Novamente temos novidades e novas aplicações para nossas meditações das 5ª feiras, Neste caso agora vamos trabalhar a nós mesmos, para minimizar os efeitos do conflito ocorrido entre a ORDEM DO DRAGÃO NEGRO e a ALIANÇA GALÁCTICA ou FEDERAÇÃO GALÁCTICA, que ocorreu em fevereiro de 2014, tendo como reflexo o envio de mais de 412 milhões de reptilianos para a linha do umbral, sendo que cerca de 23% desses seres acabaram ficando inseridos no plano Umbralino e astral da TERRA.
 
Esta condição tem gerado o desacoplamento e desalinhamento entre as antigas coordenadas dos TEMPLOS DE LUZ com a atualidade. Todos os TEMPLOS e CIDADES dos MESTRES mudaram as suas coordenadas de localização no tempo e espaço, estando além do alcance normal dos humanos, que tem passado a enxergar na sua maioria hologramas confusos.
Este é o motivo pelo qual as pessoas têm se sentido fora de sintonia já a alguns meses e tem me comentado sobre o assunto. Vamos focar as nossas meditações na nova configuração que é sustentar um novo alinhamento com o Ancoramento através dos seguintes mecanismos:
 
EMPREGAR MERKABAS: ADOBNOM 5, HARMONY, ARAXIS, YAVYTH MIGUEL, YAVYTH SANANDA, YURAK, MERKABA MELCHIZEDECK GENERICO.

O segredo dos Hunza: o povo que não envelhece e vive 120 anos em média

Sobre o vale do rio Hunza, na fronteira entre a Índia e o Paquistão, reside uma população que as pessoas conhecem como o “oásis da juventude” – e por mais de um motivo: seus habitantes vivem, em média, 120 anos, quase nunca ficam doentes e sua aparência é sempre jovem. Em relação às nações vizinhas, os moradores de Hunza se destacam por terem uma fisionomia semelhante à dos europeus, um idioma próprio (o burushaski, diferente de qualquer outro no mundo) e uma religião (a ismaelita) muito peculiar, parecida com a muçulmana.

No entanto, o aspecto mais surpreendente dessa pequena nação é sua capacidade extraordinária de se manter sempre jovem e saudável. Seus habitantes tomam banhos imersos em águas geladas a 15 graus abaixo de zero, praticam esportes até os 100 anos de idade, as mulheres de 40 anos têm a aparência de adolescentes e é comum uma mulher dar à luz aos 65 anos. Durante o verão, as pessoas se alimentam de frutas e verduras cruas, enquanto no inverno, consomem damascos secos, grãos germinados e queijo de ovelha.

Robert McCarrison, um médico escocês, foi o primeiro a analisar e descrever a população do “vale feliz” e destacou o fato de os Hunza consumirem uma dieta com restrição de proteínas. Eles comem, diariamente, uma média de 1.900 calorias, incluindo 50 gramas de proteína, 36 gramas de gordura e 365 gramas de carboidrato. E é precisamente essa dieta especial que, na opinião de McCarrison, permite a notável longevidade desse povo. Ao contrário dos países vizinhos, que compartilham a mesma condição climática, mas não possuem a mesma alimentação, os Hunza não conhecem as doenças e têm uma expectativa de vida duas vezes maior. Os habitantes de Hunza, todavia, não escondem seu segredo: recomendam abertamente uma dieta vegetariana, trabalhar e se movimentar constantemente. Além disso, acrescentam que, entre muitos outros benefícios, o estilo de vida que levam permite estarem sempre de bom humor, sem tensão nem estresse.