Curos Luiza Kehl
Livro: A Morte Não Existe

Blog

Vosso maior contrato – por voronandeck shtareer

 Parte da sessão de perguntas e respostas no curso de UPGRADE realizado em Novo Hamburgo no dia 30 de novembro de 2008.
 
A prioridade de cada um de vós neste momento é consigo mesmo.
 
Trabalhem os merkabas para se limparem, para removerem as culpas e o medo para que possam cumprir os compromissos firmados com a vossa hierarquia maior.
 
Alguns de vós se colocam numa situação de exilados na Terra, outros de missionários, outros ainda de comandantes presos na Roda de Samsara, e assim por diante. A verdadeira condição de vocês é que são Luz, perdidos nas Trevas e a Luz deve retornar à Luz.
 
Vocês assumiram o compromisso de se fundirem com o vosso Eu Superior. Esse é o maior contrato de vocês: com vocês mesmos. Ou seja, de serem Luz e merecedores dos esforços da vossa hierarquia espiritual para que isso se realize.
 
À medida que vocês realizem as meditações*, se purifiquem, limpem os miasmas, mais próximos estão da harmonia e consequentemente mais fácil é o processo de transição para as esferas mais sutis.

Acelerador de partículas vê sinais de fenômenos que violam leis da física

Vejam esta matéria, postada por Rodrigo Romo:
 
Amigos e alunos,
 
Esta matéria é interessante para que entendam mais sobre o que vem a ser física exótica e as realidades paralelas físicas que estão sendo gradualmente detectadas. 
 
Acelerador de partículas vê sinais de fenômenos que violam leis da física
 
Experimento observou primeira ruptura em modelo teórico dos anos 1970.
Ele ocorreu no LHC, colisor gigante entre a Suíça e a França.
 
Rafael Garcia Do G1, em São Paulo
 
 
Três meses após funcionar com quase o dobro da potência anterior, o superacelerador de partículas LHC começa a enxergar sinais de uma física que está além das previsões teóricas. É a primeira vez que isso acontece desde a década de 1970, quando o Modelo Padrão, a teoria que descreve o universo microscópico, se consolidou.
 
Em um artigo ainda em fase de avaliação para publicação, cientistas afirmam ter detectado um comportamento inusitado na produção de partículas da família do elétron, os chamados léptons. Ao investigar a produção dessas partículas a partir da desintegração de uma outra, cientistas esperavam que os três diferentes tipos de léptons (elétrons, múons e taus, primos mais pesados dos elétrons), fossem produzidos a uma taxa similar, de acordo com suas massas.
Comportamento inesperado pode ser o sinal da existência de mais partículas, além dos 17 tipos já efetivamente previstos em teoria e capturados em experimentos.
 
As colisões no LHC, porém, resultaram numa produção excessiva de taus, contrariando o que prevê o Modelo Padrão. O resultado foi captado pelo detector de partículas LHCb, um dos quatro grandes experimentos do LHC. Esse comportamento inesperado, apontando para o que os cientistas chamam de física exótica, pode ser o sinal da existência de mais partículas, além dos 17 tipos já efetivamente previstos em teoria e capturados em experimentos.