Joyce: A felicidade é importante na nossa caminhada...

 
“Temos que vigiar constantemente nossos pensamentos e atitudes. Temos que detectar o que está desalinhado e corrigir. É difícil trabalhar isso porque temos que buscar a solução dentro de nós. E aí dói! Mexer lá dentro, lá no fundo, abrir gavetas fechadas há muito tempo, tirar teias de aranha incrustadas nos cantos há séculos, abrir janelas emperradas, é muito complicado! Seria mais fácil deixar como está? Não, não é! Cada vez a sujeira se acumula mais e mais. E o duelo entre o novo e o velho permanece nos irritando. Para aceitar o novo. Temos que eliminar o velho, que já foi útil em algum momento de nossas vidas, mas hoje não é mais. A realidade é outra, é diferente, é mais pura e cristalina. Não precisamos mais de conceitos para formular atitudes, nem de justificativas. Precisamos somente sentir, abrir as janelas do coração, sacudir a poeira, limpas as gavetas e as teias, arejar a mente, deixar o sol penetrar e iluminar o “Todo”. Quando realmente estivermos abertos para qualquer situação, estaremos vivendo bem, felizes e alegres. A felicidade é importante na nossa caminhada e temos obrigação de busca-la em qualquer momento ou situação, pois ela nos dá condições de bem-estar, forças e perseverança.”
.
(Livro: "A Morte não Existe: o fim é apenas o começo" de Luiza Kehl pelo Espírito de Joyce Grossmann | 4a. Edição - p. 33)